PUBLICIDADE

Topo

Mindfulness em tempos de coronavírus: cuidando dos filhos

Marcelo Demarzo

25/03/2020 09h53

iStock

Nesses tempos de quarentena pela covid-19, sabemos que os pais estão lutando para equilibrar trabalho, cuidado com os filhos e autocuidado, e outras várias preocupações naturais do momento difícil que vivemos. Mindfulness (atenção plena) pode ser uma das ferramentas para lidarmos da melhor maneira possível com esse fato novo em nossas vidas. Os treinamentos em mindfulness (atenção plena) são muito eficazes para ajudarem os pais no cuidado dos filhos.

Mesmo em tempos "normais", é muito comum que pais e mães se percebam estressados e sobrecarregados em sua rotina, sempre preocupados com a próxima coisa na lista de tarefas. Em tempos de coronavírus, essa percepção se multiplica, podendo gerar uma reação inadequada na relação com nossos filhos, em especial quando eles fazem algo fora do esperado.

A boa notícia é que podemos treinar a lidarmos melhor com essas situações, fazendo pequenas "pausas" para criarmos um espaço para "ser" ao invés de sempre "fazer", reduzindo a impulsividade naquelas situações.

Uma das ferramentas a nosso alcance é a prática de atenção plena (mindfulness), que pode ser boa tanto para os pais quanto para os filhos, ajudando-nos a criar esse espaço, usando a respiração e o corpo como "laboratórios de aprendizagem".

Não é uma solução instantânea, mas com um pouco de disciplina e dedicação podemos reservar um tempinho de nossas agendas para explorar essa abordagem, e verificar com a própria experiência o que acontece (essa playlist traz áudios simples para quem quiser dar os primeiros passos em mindfulness).

Pais um pouco mais "atentos, conscientes e compassivos" podem perceber melhor seus próprios sentimentos quando estão num momento de conflito com os filhos, aprendendo a fazer uma pausa antes de responder com raiva ou impulsividade. Também tinham uma tendência a ouvir mais atentamente o ponto de vista de uma criança, mesmo quando discordavam.

Essas habilidades potencialmente ajudam a preservar o relacionamento entre pais e filhos, em especial em momentos de crise como agora, além de criarem modelos positivos de como lidar com situações difíceis, os quais serão usados pelos filhos em situações desafiadoras semelhantes no futuro.

Além dos pais poderem treinar as técnicas, eles podem aproveitar o momento para ensinarem essa capacidade de atenção plena (mindfulness) para os filhos.

O treinamento de mindfulness nessas faixas etárias pode ajudar a reduzir o estresse, aumentar o bem-estar, promover a aprendizagem adequada e melhorar as relações interpessoais com os colegas e com os próprios pais.

A atenção plena pode então ser considerada como uma das bases para o desenvolvimento humano, e tem sido cada vez mais aplicada por escolas nos processos educativos na infância e também na adolescência.

Como ensinar mindfulness às crianças e obter esses benefícios?

O ideal seria que as crianças participassem de um programa estruturado, com um instrutor certificado para trabalhar com essa faixa etária. Muitas escolas, púbicas e privadas, têm ofertado essa opção dentro dos currículos. Mas nesse momento de crise isso nem sempre será possível.

Assim, apresento abaixo duas técnicas simples que podem ser usadas pelos pais dentro de casa com os filhos.

Conheça duas técnicas simples

Abaixo explico sobre 2 práticas formais (técnicas) que podem ser realizadas de maneira simples e segura com crianças (entre 7 e 11 anos), e podem ser aplicadas pelos próprios pais, se eles se sentirem confortáveis para tal.

Antes de começar, deve-se orientar a postura, sentada ou em pé, com o corpo estável ("como uma montanha") e ao mesmo tempo relaxado, confortável. Os olhos ficam preferencialmente fechados, ou alternativamente, semiabertos, com a focagem relaxada.

O SOM DA RESPIRAÇÃO

Nessa prática a ideia é observar os sons da respiração. As crianças podem imaginar que estão no mar e que a respiração são as ondas, que se aproximam e se afastam da costa. O convite é para que elas "possam ouvir seu próprio mar" enquanto respiram. O ideal é que se pratique num lugar mais silencioso, e que não se modifique o ritmo natural da respiração (deixar a respiração livre).

CONTADO AS RESPIRAÇÕES EM 1 MINUTO

Nessa prática simples, também é orientado à criança que a respiração permaneça no ritmo natural (sem modificar), pede-se para ela contar quantas respirações se observa em aproximadamente 1 minuto, sugerindo que conte sempre quando ocorre uma expiração (saída do ar).

As práticas devem ser feitas regularmente, se possível, e devem ser de curta duração, de 1 a 2 minutos no máximo para cada exercício, sempre respeitando os limites e as possibilidades de cada criança.

E os pais podem praticar juntos, beneficiando-se também dos exercícios, além de ser uma oportunidade de estar um tempinho com os filhos.

Conversando com as crianças sobre a covid-19 de maneira mindful

Além das técnicas formais de mindfulness (práticas), também é importante levar o estado de mindfulness para as ações do dia a dia, e uma delas será conversar com os filhos sobre a situação atual.

Algumas dicas mindful:

– Se possível, devemos permanecer calmos e reconfortantes, pois as crianças reagirão e seguirão as reações verbais e não verbais dos pais (uma pequena "pausa mindful" antes da conversa pode nos ajudar);

– Se for verdade, devemos enfatizar aos nossos filhos que eles e nossa família estamos bem, e os lembrar de que nós e os outros adultos da escola ou da família estamos lá para mantê-los seguros e saudáveis;

– É importante deixarmos nossos filhos falarem sobre seus sentimentos e os ajudarmos a reformularem suas preocupações, chamamos isso de "validação emocional", que é muito importante na "formação emocional" das crianças;

– É importante também que nos tornemos disponíveis, pois as crianças podem precisar de nossa atenção extra, querendo nos falar sobre suas preocupações, medos e perguntas (também parte da "formação emocional").

Vamos praticar? Nesse link você encontrará uma playlist na forma de curso introdutório de mindfulness, com práticas simples e acessíveis a qualquer iniciante: https://soundcloud.com/mindfulnessbrasil/sets/mente-aberta-mindfulness

Mande sua pergunta: Se você tem alguma dúvida ou curiosidade sobre mindfulness, atenção plena, ou neurociência do comportamento, por favor me escreva que terei prazer em abordar seu tema em textos futuros: demarzo@unifesp.br

Referência:

Demarzo & Garcia-Campayo. Manual Prático de Mindfulness: curiosidade e aceitação. Editora Palas Athena, 2015.

Para Saber Mais:

www.mindfulnessbrasil.com (Mente Aberta – Centro Brasileiro de Mindfulness e Promoção da Saúde – UNIFESP)

www.webmindfulness.com (WebMindfulness – Grupo de Pesquisa Coordenado pelo Prof. Javier García-Campayo – Universidad de Zaragoza, informações em espanhol)

www.umassmed.edu/cfm (Centro de Meditação "Mindfulness" na Medicina, Universidade de Massachusetts, Estados Unidos, informações em inglês)

Sobre o autor

Marcelo Demarzo é médico especialista em mindfulness (atenção plena), professor e pesquisador na área de medicina, saúde e bem-estar. Ministra cursos e palestras sobre estilo de vida mindful, bem-estar e saúde --expertise desenvolvida em 15 anos como professor e pesquisador em vários hospitais e universidades brasileiras (UNIFESP, USP, Hospital Israelita Albert Einstein) e internacionais (Universidade de Oxford, Universidade de Zaragoza, Harvard University). É autor de livros e estudos científicos relacionados ao tema de mindfulness e qualidade de vida e realiza dezenas de atendimentos individuais e em grupo para disseminar o conceito de mindful living (viver pleno e consciente). É coordenador da Especialização em Mindfulness da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo).

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre saúde e qualidade de vida, com foco em mindfulness e bem-estar. Um espaço interativo para conversarmos sobre como desenvolver um estilo de vida mais mindful (pleno e consciente), que irá ajudá-lo a lidar melhor com o estresse, algo tão comum na nossa vida atual.