PUBLICIDADE

Topo

Mindfulness ajuda no autocontrole contra crises de ansiedade e pânico

Marcelo Demarzo

29/04/2020 09h53

iStock

Praticar mindfulness (atenção plena) é uma das ferramentas para melhorar o autocontrole frente às crises de ansiedade e mesmo de pânico. Os treinos podem começar dentro de casa e melhoram a qualidade de vida durante o período de incertezas e distanciamento social, causado pela pandemia de coronavírus.

Desde o anúncio da pandemia do novo coronavírus, a mudança repentina na rotina de vida dos brasileiros desencadeou crises de ansiedade e pânico em pacientes já diagnosticados, e até em quem não tinha histórico desses transtornos mentais.

A prática de mindfulness é uma das aliadas para o desenvolvimento de autocontrole durante as crises, porque é capaz de reduzir a preocupação excessiva, entre outros benefícios.

Essa relação acontece porque ambos os quadros podem ser desencadeados, entre outras causas, pelo medo do que possa acontecer (infecções, mortes, perdas financeiras), e pela sensação de impotência diante de uma situação que não se pode controlar.

Sabemos que existe uma relação entre "se sentir no controle" e perceber o estresse, ou seja, quanto mais incertezas e insegurança, menor a sensação de controle e, infelizmente, maior a percepção de estresse e ansiedade.

Esse tipo de sofrimento ou mal-estar é aquele produzido pela mente e que nem sempre representa a realidade. Assim, o isolamento, o receio em ficar desempregado, a dificuldade em manter um negócio e o medo do contágio podem desencadear essas crises. Os programas de treinamento em mindfulness vão agir exatamente neste ponto: a diferenciação entre ameaças reais e ideias equivocadas sobre a realidade.

A base para conquistar o autocontrole (ou autorregulação) sobre os pensamentos e sentimentos é cientificamente chamada de "descentramento" (decentering), que significa uma capacidade metacognitiva, ou de "auto-observação consciente", que faz parte dos treinamentos de mindfulness.

Nessa habilidade, os pensamentos e imagens mentais não são considerados como se fossem "fatos" ou "realidades", mas sim "eventos mentais", podendo ter valor ou não.

O descentramento é adquirido por meio de técnicas simples, até mesmo com a prática de exercícios breves que podem durar apenas três minutos, desde que feita de maneira regular e continuada.

Dessa forma, os benefícios ocorrem independentemente da intensidade dos sintomas e são provenientes de uma melhor regulação emocional, ou seja, as pessoas conseguem entender e lidar de forma mais eficaz com seus sentimentos e emoções. Lembrando que para pessoas com alguma doença aguda ou crônica (pacientes), o apoio de um instrutor qualificado e de um profissional da saúde é fundamental.

Vamos praticar? Nesse outro link você encontrará uma playlist completa, na forma de curso introdutório de mindfulness, com práticas simples e acessíveis a qualquer iniciante.

Mande sua pergunta: Se você tem alguma dúvida ou curiosidade sobre mindfulness, atenção plena, ou neurociência do comportamento, por favor me escreva que terei prazer em abordar seu tema em textos futuros: demarzo@unifesp.br

Referência:

Demarzo & Garcia-Campayo. Manual Prático de Mindfulness: curiosidade e aceitação. Editora Palas Athena, 2015.

Para Saber Mais:

www.mindfulnessbrasil.com (Mente Aberta – Centro Brasileiro de Mindfulness e Promoção da Saúde – UNIFESP)

www.webmindfulness.com (WebMindfulness – Grupo de Pesquisa Coordenado pelo Prof. Javier García-Campayo – Universidad de Zaragoza, informações em espanhol)

www.umassmed.edu/cfm (Centro de Meditação "Mindfulness" na Medicina, Universidade de Massachusetts, Estados Unidos, informações em inglês)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Marcelo Demarzo é médico especialista em mindfulness (atenção plena), professor e pesquisador na área de medicina, saúde e bem-estar. Ministra cursos e palestras sobre estilo de vida mindful, bem-estar e saúde --expertise desenvolvida em 15 anos como professor e pesquisador em vários hospitais e universidades brasileiras (UNIFESP, USP, Hospital Israelita Albert Einstein) e internacionais (Universidade de Oxford, Universidade de Zaragoza, Harvard University). É autor de livros e estudos científicos relacionados ao tema de mindfulness e qualidade de vida e realiza dezenas de atendimentos individuais e em grupo para disseminar o conceito de mindful living (viver pleno e consciente). É coordenador da Especialização em Mindfulness da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo).

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre saúde e qualidade de vida, com foco em mindfulness e bem-estar. Um espaço interativo para conversarmos sobre como desenvolver um estilo de vida mais mindful (pleno e consciente), que irá ajudá-lo a lidar melhor com o estresse, algo tão comum na nossa vida atual.